terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida.
Detesto quando escuto aquela conversa:
- 'Ah,terminei o namoro...
- 'Nossa,quanto tempo?'
... - 'Cinco anos... Mas não deu certo...acabou'
- É não deu...?
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico; que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante...e se o beijo bate... se joga... se não bate...mais um Martini, por favor... e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice versa.
Não fique com alguém por dó também.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria compania?
Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração. Faz parte.
Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo
E nem sempre as coisas saem como você quer...
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar. Ou se apaixonar. Ou se culpar.
Enfim...quem disse que ser adulto é fácil?

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

- Como são admiráveis as pessoas que nós não conhecemos bem.

Millôr Fernandes.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

- The curious case of Benjamin Button

"Algumas pessoas não sabem o que dizem. O Beija flor ão é um pássaro comum. Sua frequência cardíaca é de 120 batidas por minuto. Suas asas batem 80 vezes por segundo. Se você segurasse um beija flor e impedisse ele de bater as suas asas ele morreria em menos de 10 segundos. Ele definitivamente não é um passaro qualquer! E isso é um verdadeiro milagre! Uma vez observaram através de uma camera lenta o bater das asas de um beija flor, sabe o que eles viram? As extremidades das asas se movem fazendo o numero 8 no ar; Sabe do que o numero 8 é simbolo matemático? Infinito!"

terça-feira, 30 de agosto de 2011

domingo, 31 de julho de 2011

terça-feira, 19 de julho de 2011

Tem sempre alguém querendo ouvir os meus problemas...
tem sempre alguém me perguntando como eu tô
... e nem adianta dizer "Não houve nada".
Talvez pareça que eu tô sempre cansada.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O amor não acaba. O amor apenas sai do centro das nossas atenções. O tempo desenvolve nossas defesas, nos oferece outras possibilidades e a gente avança porque é da natureza humana avançar. Não é o sentimento que se esgota, somos nós que ficamos esgotados de sofrer, ou esgotados de esperar, ou esgotados da mesmice.

domingo, 3 de julho de 2011

quarta-feira, 22 de junho de 2011

sexta-feira, 22 de abril de 2011

E não sou muito boa nessa história de consolar, especialmente quando tenho as mãos frias e a cama é quente. Carreguei-o com delicadeza pela rua destroçada, com sal nos olhos e o coração mortalmente pesado. Observei por um instante o conteúdo de sua alma, e vi um menino pintado de preto, gritando o nome de Jesse Owens ao cruzar uma fita de chegada imaginária. Vi-o afundado até os quadris em água gelada, perseguindo um livro, e vi um garoto deitado na cama, imaginando que gosto teria um beijo de sua gloriosa vizinha do lado. Ele mexe comigo, esse garoto. Sempre. É sua única desvantagem. Ele pisoteia meu coração. Ele me faz chorar.

Markus Zusak In “A menina que roubava livros”

quarta-feira, 13 de abril de 2011

A verdade...

Nenhum amor é incondicional.
Então acreditar na incondicionalidade do amor, é decididamente precipitar o fim do amor, porque você acha que esse amor aguenta tudo, então de um jeito ou de outro você acaba fazendo esse amor passar por tudo, e um amor não aguenta tudo, nada nessa vida é assim!
E aí você fala que esse amor não tem fim, para que o fim então comece.

domingo, 27 de março de 2011

Desânimo!

Desânimo de esperar o tempo passar,
desânimo de correr atrás do que eu quero...
desânimo de mandar tudo se fuder...

Preciso de férias.
Tirar férias da mente, sabe?
Ela não pára um segundo. E eu só queria que ela não estivesse tão cheia de coisas.

segunda-feira, 14 de março de 2011

"Sem esforço da busca é impossível o valor da vitória."

Muito válido pra mim - ler isso durante essa semana.
Antes que eu me precipite em cometer atitudes doidas e impensantes - como de costume...

sexta-feira, 11 de março de 2011

Seria tão bom sair por aquela porta e conhecer alguém sem precisar procurar no meio da multidão. Alguém que soubesse se aproximar sem ser invasivo ou que não se esforçasse tanto para parecer interessante. Alguém de quem eu não quisesse fugir quando a intimidade derrubasse nossas máscaras, que segurasse minha mão e tocasse meu coração. Que não me prendesse, não me limitasse, não me mudasse, alguém que me roubasse um beijo no meio de uma briga e me tirasse a razão sem que isso me ameaçasse. Que me dissesse que eu canto mal, que eu falo demais e que risse das vezes em que eu fosse desastrada. Alguém de quem eu não precisasse.. mas com quem eu quisesse estar sem motivo certo. Alguém com qualidades e defeitos suportáveis, que não fosse tão bonito e ainda assim eu não conseguisse olhar em outra direção. Que me encontrasse até quando eu tento desesperadamente me esconder do mundo. Eu queria sair por aquela porta e conhecer alguém imperfeito, mas feito pra mim.

terça-feira, 8 de março de 2011

"Nenhum amor é incondicional.
Então acreditar na incondicionalidade do amor, é decididamente precipitar o fim do amor, porque você acha que esse amor aguenta tudo, então de um jeito ou de outro você acaba fazendo esse amor passar por tudo, e um amor não aguenta tudo, nada nessa vida é assim!
E aí você fala que esse amor não tem fim, para que o fim então comece."

quinta-feira, 3 de março de 2011

Blurry!

Ninguém me falou o que você pensava
Ninguém me contou o que dizer
Todo mundo te mostrou para onde virar
Te falaram para onde fugir
Ninguém me contou onde se esconder
Todo o mundo te mostrou para onde virar
Mostraram para onde fugir...

sábado, 19 de fevereiro de 2011

[away]

Tô deprê.
Talvez seja o meu corte de cabelo
Ou a minha falta de tempo pras coisas,
ou o fato d'eu estar sem fotos legais,
ou a minha vontade de querer folgar um diazinho no trabalho...

Tenho mil propósitos...
e pelo menos, metade deles, vou resolver no início do mês de março
[Rááá, surprise!]


Preciso emagrecer e estou apaixonada por Patchcolagem! :)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Oh, God!

Não, eu não sou isso.
E vou continuar não sendo pro resto da vida.

Minha realidade é outra.
E a minha consciência me impede de fazer "o errado".

A minha paz interior tem vindo à tona nos horários de trabalho.
Juro que pensei que seria o horário mais impróprio pra isso.
Mas, é quando eu esqueço de todo o resto.
Os problemas, as pessoas que eu conheço, as perturbações...

É, tá tenso.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Farei o possível pra não amar demais as pessoas, sobretudo por causa das pessoas. Às vezes o amor que se dá pesa, quase como responsabilidade na pessoa que o recebe. Eu tenho essa tendência geral para exagerar, e resolvi tentar não exigir dos outros senão o mínimo. É uma forma de paz.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

As vezes acho que eu não sou daqui, não tente me entender.

Tô entrando num mundo completamente diferente da minha realidade e sabe-se lá quanto tempo vou permanecer nele.
É tudo um tanto estranho...
Porém, divertido.
Quero sossego, quero isso que eu tô vivendo.
E quero perder meus medos tb.

Nada é meu dentro disso... e de certa forma isso é bom.
Quero apenas manter esse sentimento sem elevações.
Espero continuar me sentindo assim.
Tá tudo muito lindo.

E eu amay a praia no fim de semana.

Um begoss.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Cada um no seu lugar!

Acho indigno pessoas que se mostram uma coisa quando, na verdade, são OUTRA coisa.
Me revolto, me frustro, me indiguino.
Como o título da postagem: Cada um no seu lugar, óquei?
Nada de mundinho "porra louca" pra uma pessoa de quase trinta anos
ou, um fingimento de 20 anos quando se tem a mente parada nos 15 (ou menos).

Me livrei de pesos nas costas que não me fazem um pingo de falta.
Isso é um post de afronto? Não, é um desabafo.
Sei dos meus princípios e me coloco no meu lugar.

Enfim.
Novidadzi: Praia no findi! Finalmente!
Com uma galera linda! :)

sábado, 15 de janeiro de 2011

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... que o AMOR existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim... e que valeu a pena!
Isso aqui tá meio abandonado...
e pelos inúmeros fatos ocorridos* na minha vida nesses últimos dias,
eu não tenho tempo nem saco pra vir aqui desabafar.

*Fatos ocorridos bons e ruins.
[Mais bons que ruins, ufa]

faz parte.